domingo, 28 de novembro de 2010

Hermenêutica e Exegese


Vou começar este post com uma piada que conheço desde a época do curso Normal, que usei na graduação e na pós-graduação para exemplificar a diferença entre linguagem culta e linguagem coloquial, e para fazer um paralelo entre a Inteligência Linguística e a Interpessoal (H. Gardner):

Certa vez, um ladrão foi roubar galinhas justamente na casa do catedrático Rui Barbosa. O ladrão pulou o muro, e cercou as galinhas. Naquele alvoroço, Rui Barbosa acordou de seu profundo sono, e se digirigiu até o galinheiro. Lá chegando, viu o ladrão já com uma de suas galinhas e, com toda aquela eloquência que lhe era peculiar, disse:"-Não é pelo bico-de-bípede, nem pelo valor intrínseco do galináceo; mas por ousares transpor os umbrais de minha residência. Se for por mera
ignorância, perdôo-te. Mas se for para abusar de minh'alma prosopopéia, juro-te pelos tacões metabólicos de meus calçados, que dar-te-ei tamanha bordoada, que transformarei sua massa encefálica, em cinzas cadavéricas."
O ladrão todo sem graça se virou e disse:
"-Cumé seu Rui, posso levar a galinha ou não???"

O nosso caríssimo Rui Barbosa foi um jurista, político, diplomata, lobista, escritor, filólogo, tradutor e orador brasileiro, formado pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Foi deputado, senador, ministro e candidato à Presidência da República em duas ocasiões e era conhecido como O ÁGUA DE HAIA, foi um orador excelente, conhecido por seu vocabulário rebuscado. Essa piada é uma maneira engraçada de dizer que o Sr. Barbosa, embora fosse excelente orador, não falava a linguagem do povo, não se fazia entender às massas!

O presente artigo tem o objetivo de mostrar o quanto é importante conhecer e saber aplicar os princípios da HERMENÊUTICA e da EXEGESE em nosso dia a dia, principalmente para professores e pastores!



HERMENÊUTICA BÍBLICA

 
O termo "hermenêutica" deriva do grego hermeneuein, "interpretar". A Hermenêutica Bíblica cuida da reta compreensão e interpretação das Escrituras. Consiste num conjunto de regras que permitem determinar o sentido literal da Palavra de Deus.

A IMPORTÂNCIA DESTE ESTUDO

O próprio Pedro admitiu que há textos difíceis de entender: "os quais os indoutos e inconstantes torcem para sua própria perdição" (2 Pedro 3:15 e 16).

A arma principal do soldado cristão é a Escritura, e se desconhece o seu valor ou ignora o seu legítimo uso, que soldado será? (2 Timóteo 2:15).

As circunstâncias variadas que concorreram na produção do maravilhoso livro exigem do expositor que o seu estudo seja meticuloso, cuidadoso e sempre científico, conforme os princípios hermenêuticos.

A REGRA FUNDAMENTAL

A Escritura é explicada pela Escritura. A Bíblia interpreta a própria Bíblia..

1ª Regra: 
- Enquanto for possível, é necessário tomar as palavras no seu sentido usual e ordinário..

2ª Regra: 
- É absolutamente necessário tomar as palavras no sentido que indica o conjunto da frase..

Esta regra tem importância especial quando se trata de determinar se as palavras devem ser tomadas em sentido literal ou figurado. Para não incorrer em erros, convém, também, deixar-se guiar pelo pensamento do escritor, e tomar as palavras no sentido que o conjunto do versículo indica.

3ª Regra:
- É necessário tomar as palavras no sentido que indica o contexto, isto é, os versos que precedem e seguem o texto que se estuda.

4ª Regra:
- É preciso tomar em consideração o desígnio ou objetivo do livro ou passagem em que ocorrem as palavras ou expressões obscuras..

5ª Regra:
- É indispensável consultar as passagens paralelas explicando as coisas espirituais pelas espirituais (I Cor 2:13). (I Cor 2:13).

6ª Regra:
- Um texto não pode significar aquilo que nunca poderia Ter significado para seu autor ou seus leitores.

7ª Regra:
- Sempre quando compartilhamos de circunstâncias comparáveis (isto é, situações de vida específicas semelhantes) com o âmbito do período quando foi escrita, a Palavra de Deus para nós é a mesma que Sua Palavra para eles.

EXEGESE
É o estudo cuidadoso e sistemático da Escritura para descobrir o significado original que foi pretendido. É a tentativa de escutar a Palavra conforme os destinatários originais devem tê-la ouvido; descobrir qual era a intenção original das palavras da Bíblia.

A. Contexto histórico: a época e a cultura do autor e dos seus leitores: fatores geográficos, topográficos e políticos, a ocasião da produção do livro. A questão mais importante do contexto histórico tem a ver com a ocasião e o propósito de cada livro.

B. Contexto literário: as palavras somente fazem sentido dentro das frases, e estas em relação às frases anteriores e posteriores. Devemos procurar descobrir a linha de pensamento do autor. O que o autor está dizendo e por que o diz exatamente aqui?

Fontes:
E.LUND. HERMENÊUTICA . Editora VIDA, 1968.
http://www.pregaapalavra.com.br/hermeutica.htm

sábado, 27 de novembro de 2010

Planejamento Familiar: uma arma contra a violência e o caos urbano.

Charge que mostra como a falta de Planejamento Familiar pode resultar na violência urbana.
Meu marido e eu planejamos nosso primeiro filho para 2012. Planejamos que eu vou tentar engravidar entre março e abril do ano que vem, para que nosso(s) bebê(s) nasça(m) entre janeiro e fevereiro de 2012. A idéia de engravidar algumas vezes me assusta, mas em geral me enternece, tanto que já até comprei uma revista de decoração de quarto de bebês, com ênfase na cor “da moda”, o bege, e com dicas para decoração de quarto de gêmeos, pois meu marido e eu temos grande probabilidade de sermos premiados com a gravidez de gêmeos, tanto porque a cada geração, em nossas famílias, alguém tem gêmeos quanto porque quando voltamos da lua-de-mel eu sonhei que saía de uma maternidade com dois bebês, um menino e uma menina, cujos nomes eram Guilherme e Isabela, um sonho que parecia tão real quanto uma revelação!

Fico muito feliz em planejar minha gravidez em concordância com meu marido, imagino que para uma criança seja um privilégio ser desejada, planejada e querida desde antes de seu nascimento!

Andei fazendo algumas pesquisas sobre Planejamento Familiar e alguns pesquisadores atribuem a violência urbana, a miséria e o caos social à falta de planejamento familiar.

Pessoas sem as mínimas condições necessárias para sua própria sobrevivência têm filhos, crianças que se desenvolvem dentro de um útero onde recebem – devido a uma alimentação precária – quantidades insuficientes de nutrientes necessários para a formação de um tubo neural saudável e perfeito, crianças que provavelmente terão alguma dificuldade de aprendizagem quando ingressarem na escola, crianças que não têm nos pais um exemplo de leitores, que não terão em suas casas um ambiente alfabetizador... A falta de aptidão para o ensino formal, mais a dificuldade de comportamento social – muitas crianças aprendem a agredir física e verbalmente seus colegas porque recebem dos pais agressões semelhantes –, criam um ser que tem grandes chances de, no futuro, apresentar comportamentos violentos, entregar-se a drogas e contribuir para a violência e o caos em nossa sociedade.

Eu sou totalmente a favor de que o governo implemente medidas mais severas de controle à natalidade, que os jovens recebam melhor orientação quanto ao Planejamento Familiar. Que o governo não apenas incentive o uso da camisinha, incentivo este que promove a promiscuidade e não garante coisa alguma porque, em geral, na maioria das vezes, os jovens que consideram a camisinha um porto seguro contra doenças venéreas e gravidez quando bêbados ou sem grana acabam não usando preservativos... Sexo seguro só dentro de um casamento onde ambos sejam fiéis entre si e a Deus!

Eu sonho com o dia em que todos os filhos serão planejados, que todas as famílias terão casa própria, condições de oferecer saúde, alimentação e educação de qualidade aos seus filhos. Sonho com uma sociedade onde o sexo não será apenas uma forma banal de prazer, mas que será visto como a maneira mais profunda de relacionamento entre homem e mulher, responsáveis por seus atos, tementes a Deus e casados perante a lei dos homens e a Palavra de Deus...

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

DIA DE AÇÃO DE GRAÇAS

O Dia de Ação de Graças é comemorado na quarta Quinta-feira de Novembro. Nesta data, pessoas de todas as religiões dão graças pelas dádivas alcançadas. As famílias se reúnem e comemoram com a ceia tradicional, após as preces e os cultos de cada religião em comunhão espiritual à benevolência de Deus misericordioso.



Segundo a tradição, o primeiro Dia de Ação de Graças americano aconteceu em 1621. A festa foi feita junto aos integrantes da tribo Wampanoag, convidados dos colonos ingleses fundadores da colônia Plymouth, estado de Massachusetts.

Num gesto de delicadeza, os índios levaram comida aos ingleses. Só em 1789, por idéia do então presidente George Washington, a data se tornou feriado. Para aqueles que estão no caminho espiritual, o Dia de Ação de Graças anuncia formalmente a chegada do Natal e simboliza a gratidão que sentimos a medida em que nos aproximamos de Deus.

Da mesma forma que o dia de Ação de Graças precede o Natal, o coração, que é constantemente agradecido, é um precursor do glorioso nascimento interno da consciência Cristã que é a alegre realização da Presença Divina em toda a criação.

Oferendas internas, conscientes de agradecimento, abrem nossos olhos novamente para as incontáveis manifestações de Deus em nossa volta, emocionando-nos com uma capacidade nova de admirar e sentir júbilo na vida diária.

O Dia de Ação de Graças é o dia especialmente dedicado à gratidão. A rigor, todos os dias deveriam ser de ações de graças. Em todas as circunstâncias, em todos os momentos, deveríamos ser gratos a Deus. "Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus, em Cristo Jesus, para convosco". I Tessalonicenses 5.18.

Agradecer a Deus, entendendo que tudo lhe pertence e que providencia o melhor para nós, é sinal de amor e de obediência à Sua vontade. No ano de 1909, Joaquim Nabuco, Embaixador do Brasil nos Estados Unidos, assistiu a um Culto de Ação de Graças. Ficou tão impressionado que declarou: "Quisera que toda a humanidade se unisse, num mesmo dia, para um universal agradecimento a Deus".

Em 1949, foi votada no Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente Eurico Gaspar Dutra, a Lei no 781, que instituiu no Brasil o Dia Nacional de Ação de Graças.

Estou ensaiando com meus alunos a música, da cantora evangélica Jozyanne, MAIS GRATO A TI. É uma música muito edificante, um verdadeiro louvor de agradecimento a Deus.

A letra da música é uma bela oração:

Eu Te agradeço pela vida, pelo ar que respiro

Eu Te agradeço pelo sol que me aquece
Pelo alimento que me fortalece
Eu Te agradeço pela minha família
Pelos meus amigos
Eu Te agradeço pela minha história
Pelas batalhas e pelas vitórias
Não tenho tanto pra Te oferecer, recebe o meu amor
E a minha vida inteira eu vou viver, pra Te agradecer
Pra Te agradecer
Mais grato a Ti, mas grato a Ti eu quero, eu quero
Eu quero ser, Senhor
Mais grato a Ti... mais grato a Ti...


Pela Tua vida, pelo Teu perdão
Pelo Teu Espírito Santo, pela salvação
Pela Tua morte, pela ressurreição, pelo Teu amor
Eu quero, eu quero, eu quero ser, Senhor



Graças dou ao Senhor, meu Salvador, por todas as bençãos que Ele tem derramado em minha vida: saúde, paz, amor, família, trabalho, sucesso... São tantas as maravilhas que Ele tem feito por mim!

A música da Jozyanne meus alunos vão apresentar aos pais e familiares em nossa cantata de Natal, no dia da formatura deles (10 de dezembro)!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

AS CRIANÇAS E A TELEVISÃO: uma relação delicada!

Não sou contra assistir televisão, acho a TV um meio de comunicação de massas muito útil, democrático e barato. Sou contra os pais deixarem seus filhos expostos ao que ela nos passa sem um “filtro”. É na infância que se formam nossas noções do que é lícito ou ilícito, moral ou imoral. Essa minha afirmação tem embasamento na teoria de Jean Piaget. Vejamos então:

No aspecto moral, segundo Piaget, a criança passa por uma fase pré-moral, caracterizada pela anomia, coincidindo com o "egocentrismo" infantil e que vai até aproximadamente 4 ou 5 anos. Gradualmente, a criança vai entrando na fase da moral heterônoma e caminha gradualmente para a fase autônoma.


Piaget afirma que essas fases se sucedem sem constituir estágios propriamente ditos. Vamos encontrar adultos em plena fase de anomia e muitos ainda na fase de heteronomia. Poucos conseguem pensar e agir pela sua própria cabeça, seguindo sua consciência interior.

ANOMIA = A (negação) + NOMIA (regra, lei).

HETERONOMIA = A lei, a regra vem do exterior, do outro.

AUTONOMIA = Capacidade de governar a si mesmo.

Na fase de anomia, natural na criança pequena, ainda no egocentrismo, não existem regras e normas. O bebê, por exemplo, quando está com fome, chora e quer ser alimentado na hora. As necessidades básicas determinam as normas de conduta. No indivíduo adulto, caracteriza-se por aquele que não respeita as leis, pessoas, normas.

Na medida em que a criança cresce, ela vai percebendo que o "mundo" tem suas regras. Ela descobre isso também nas brincadeiras com as crianças maiores, que são úteis para ajudá-la a entrar na fase de heteronomia.

Na moralidade heterônoma, os deveres são vistos como externos, impostos coercitivamente e não como obrigações elaboradas pela consciência. O Bem é visto como o cumprimento da ordem, o certo é a observância da regra que não pode ser transgredida nem relativizada por interpretações flexíveis. De certa forma, a intolerância da Igreja, por qualquer interpretação diferente da sua, referente ao Evangelho, manteve a humanidade na heteronomia moral. O bem e o certo estavam na Igreja, no Estado e não na consciência interior do indivíduo.

A responsabilidade pelos atos é avaliada de acordo com as conseqüências objetivas das ações e não pelas intenções.

O indivíduo obedece as normas por medo da punição. Na ausência da autoridade ocorre a desordem, a indisciplina.

Na moralidade autônoma, o indivíduo adquire a consciência moral. Os deveres são cumpridos com consciência de sua necessidade e significação. Possui princípios éticos e morais. Na ausência da autoridade continua o mesmo. É responsável, auto-disciplinado e justo. A responsabilidade pelos atos é proporcional à intenção e não apenas pelas conseqüências do ato.

O processo educativo deve conduzir a criança a sair de seu egocentrismo, natural nos primeiros anos, caracterizado pela anomia, e entrar gradualmente na heteronomia, encaminhando-se naturalmente para a sua própria autonomia moral e intelectual que é o objetivo final da educação moral.

Esse processo de descentralização conduz do egocentrismo (natural na criança pequena) caracterizado pela anomia, à autonomia moral e intelectual.

As atividades de cooperação, num ambiente de respeito mútuo, embasado na afetividade, preservam do egoísmo e do orgulho, auxiliando a criança no longo processo de descentralização, conduzindo-a gradativamente da heteronomia para a autonomia moral. Um ambiente de medo, autoritarismo, respeito unilateral tende a perpetuar a heteronomia.

Do egocentrismo inicial a criança, gradualmente, vai "saindo" de si mesma, ampliando sua visão de mundo e percebendo que faz parte de um todo maior.

Gradualmente, aprende a cooperar, a respeitar e a amar o próximo.

Enquanto a criança ainda não transcendeu a fase da heteronomia é necessário, sim, que ela tenha ao seu lado um adulto que a ajude a “filtrar” as informações, a ajude a entender que nem sempre o que está na televisão é para ser imitado, que uma capa não faz um ser humano voar, que cair de um abismo e sobreviver é coisa de desenho animado, enfim, que há muitas diferenças entre a ficção e a realidade!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Palestra do Dr. Içami Tiba

O palestrante é membro eleito do Board of Directors of the International Association of Group Psychotherapy. Conselheiro do Instituto Nacional de Capacitação e Educação para o Trabalho "Via de Acesso". Professor de cursos e workshops no Brasil e no Exterior.
Em pesquisa realizada em março de 2004, pelo IBOPE, entre os psicólogos do Conselho Federal de Psicologia, os entrevistados colocaram o Dr. Içami Tiba como terceiro autor de referência e admiração - o primeiro nacional.


1.
A educação não pode ser delegada à escola.
Aluno é transitório. Filho é para sempre.


2. O quarto
não é lugar para fazer criança cumprir castigo.
Não se pode castigar com internet, som, tv, etc...


3. Educar
significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

4.
É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real.
Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.


5. Informação é diferente de conhecimento.
O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa.
Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.


6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais.
Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança.
Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição
que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.

7.
Em casa que tem comida, criança não morre de fome . Se ela quiser comer, saberá a hora.
E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.


8. A criança
deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada.
Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.


9. É preciso transmitir aos filhos a idéia de que temos de
produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.

10. As drogas e a gravidez indesejada
estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer.
E o prazer é inconsequente.


11. A gravidez
é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.

12. Maconha
não produz efeito só quando é utilizada.
Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve 'abandoná-lo'.


13. A mãe
é incompetente para 'abandonar' o filho.
Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.


14. Se o pai
ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz.
Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.


15. Se o filho
não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.

16. Não pode prometer
presente pelo sucesso que é sua obrigação.
Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.


17. Quem educa
filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.

18. M
uitas são desequilibradas ou mesmo loucas.
Devem ser tratadas
. (palavras dele).

19. Se a mãe
engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.

20. Videogames
são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem 'vidas', e sim uma única vida.
Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.


21. Professor
tem que ser líder. Inspirar liderança.
Não pode apenas bater cartão.


22. Pais e mães
não pode se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. 'Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador'. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.

23. O erro
mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.

24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família
.

25. Cair na conversa do filho
é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.

26. Dinheiro 'a rodo'
para o filho é prejudicial.
Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.





Frase: "A mãe (ou o pai!) que leva o filho para a igreja, não vai buscá-lo na cadeia!"


--- "Não poupes o menino da correção: se tu o castigares com a vara, ele não morrerá... castgando-o com a vara salvarás sua vida da morada dos mortos..." Prov 23,13

domingo, 7 de novembro de 2010

Belíssimas campanhas publicitárias...

É cada vez mais comum as propagandas chamarem mais atenção do que a programação da TV. Os publicitários estão cada vez mais sensíveis as demandas da sociedade atual, veiculando seus produtos e serviços a qualidade de vida, saúde e educação!

As empresas de publicidade criam slogans que se tornam, depois de um tempo, incontestáveis, como por exemplo: "O melhor plano de saúde é viver, o segundo melhor é Unimed", "Tem 1001 utilidades (Bombril) e muitos outros.

Essas frases foram transcritas da campanha publicitária de um famoso banco (City Bank). Elas estavam, há algum tempo atrás, espalhas em Outdoos pela cidade:
 
"Crie filhos em vez de herdeiros."

"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete." 


"Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela." 


"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama." 


"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas." 


"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"


"Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos." 


"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas..."
"...e quem sabe assim você seja promovido a melhor (amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!"

"Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos."

É indiscutível que nessas frases houve a intenção de veicular a imagem do banco a uma qualidade de vida!


Legal né? Agora assista esse vídeo:


video

Eu teria usado esse vídeo em minha última Reunião de Responsáveis (como mensagem de sensibilização) caso os ladrões que roubaram nossa escola tivessem poupado o Data-Show... Embora seja uma propaganda da Natura, também é uma lição para aproveitarmos melhor nossas vidas, vivermos com prazer nossas rotinas, encontrarmos tempo para as coisas realmente importantes da vida!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Como é gratificante ter o trabalho reconhecido!


Outro dia eu estava indo para escola em que trabalho e parei numa mercearia/padaria para comprar um pacotinho de bolinhos Ana Maria e um Toddynho (coisa que faço sempre que não dá tempo de tomar o café da manhã em casa) e uma senhora me deu bom dia e disse “Posso fazer uma pergunta?”, eu disse “Claro que sim!”, ela então perguntou “Em 2013 você ainda vai estar trabalhando com Educação Infantil?”. Eu sorri, pensei um pouco, tentei me lembrar de onde a conhecia, seu rosto me era familiar, mas ela certamente me conhecia porque sua pergunta foi incrivelmente direta e pessoal. A primeira resposta que me veio à cabeça foi “Sei lá, só Deus sabe, nem sei se estarei viva na semana que vem, como posso saber o que vou estar fazendo em 2013?”, mas isso soaria muito grosseiro, então ponderei e finalmente respondi “Olha, quem escolhe as turmas é a diretora da escola, é minha paixão trabalhar com Educação Infantil, mas quem diz que turma cada professora vai ter no ano seguinte é a diretora...”. Ele fez uma carinha de decepcionada e disse “Em 2013 meu filho vai ter idade para Educação Infantil e eu queria muito que ele fosse seu aluno, eu ouço as outras mães falarem tão bem de você, não só as mães, as crianças da escola também te adoram!”. Eu ganhei o dia, aliás ganhei o ano inteiro! Agradeci o elogio, me despedi e fui comendo meus bolinhos e tomando meu Toddynho toda boba, feliz da vida...
Bolinho Ana Maria R$ 2,00.
Toddynho R$ 1,50.
Ser elogiada pelas mães dos alunos e pelas crianças da escola: NÃO TEM PREÇO!
Para todas as outras coisas existe cartão de crédito, cheque, dinheiro, RioCard... rs.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Por que o Brasil não lê?! Como formar um país de leitores?


Muitas são as iniciativas que tentam fazer do Brasil um país de leitores. Aqui no Rio de Janeiro tem o projeto Rio, uma cidade de leitores, lançado pela nossa Secretaria de Educação em parceria com a Secretaria de Cultura. Todas as iniciativas são louváveis, mas nem todas surtem os efeitos necessários...
O projeto Biblioteca do Professor faz parte do programa Rio, uma cidade de leitores e tem como objetivo incentivar a leitura literária entre os professores da rede municipal. Pelo programa, cada docente recebe dois livros por trimestre.  Como professora da Prefeitura do Rio de Janeiro tenho recebido dois livros (um nacional e um internacional) a cada trimestre e agora no final do ano recebi um livro nacional e um voucher. Não estou reclamando, como falei todas as iniciativas são louváveis, mas esses livros que recebemos de literatura nacional e internacional não têm nada a ver com nossas práticas pedagógicas, não nos acrescentam nada profissionalmente!
 A iniciativa de continuarmos a receber o voucher, porém, é ainda mais louvável, porque então podemos escolher quais livros comprar!
Esse final de semana estava com meu voucher, vulgo “vale-livro”, em mãos e pensando em qual livro comprar, resolvi fazer uma lista dos livros que, recentemente, chamaram minha atenção. Vou compartilhar com vocês a minha decepção: são muitos os livros que me despertaram o interesse, são também todos na minha área (educação), mas são todos caros e o voucher é de apenas R$50,00!
Não é novidade para ninguém que no Brasil os livros, infelizmente, são muito caros e apenas uma minoria da população tem acesso a materiais de leitura irrestritos.
Os livros que eu quero, e pretendo comprar, independente do valor voucher dado pela Prefeitura, são os seguintes:

“PISANDO NO FREIO: entenda e controle o seu TDAH”.
Autoras: Patrícia Quinn e Judith M. Stern.
Editora: ARTMED KIDS
Valor: R$ 31,00.

“PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA”
Autoras: Emília Ferreiro e Ana Teberosky.
Valor: entre R$42,51 e R$54,00.

“O DIA A DIA DAS CRECHES E PRÉ-ESCOLAS: crônicas brasileiras”
Autora: Ana Maria Mello e col.
Páginas: 248.
Valor: R$46,00.

“LIMITES: entre o prazer de dizer sim e o dever de dizer não”
Autora: Nina Rosa Furtado.
Páginas: 160.
Valor: R$39,00.

“1, 2, 3 MÁGICA PARA PROFESSORES: disciplina afetiva em sala de aula”
Autores: Thomas W. Phelan e Sarah Jane Schonour.
Páginas: 264.
Valor: R$ 56,00.

“CONTEXTOS DE ALAFABETIZAÇÃO INICIAL”
Autoras: Ana Teberosky, Marta Soler Gallart e col.
Páginas: 176.
Valor: R$41,00.

“MANUAL DE ASSESSORAMENTO PSICOPEDAGÓGICO”
Autores: Joan Bonals e Manuel Sánchez Cano.
Páginas: 720.
Valor: R$ 94,00.

“INFÂNCIA E PSICOPATOLOGIA 8ed.”
Autores: Daniel Marcelli e David Cohen.
Páginas: 600.
Valor: R$ 98,00.

“O RESGATE DA AUTORIDADE EM EDUCAÇÃO”
Autor: Gérard Guillot.
Páginas: 192.
Valor: R$45,00.

“TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO/HIPERATIVIDADE: o que é? Como ajudar?”
Autores: Luís Augusto P. Rohde e Edylene B. P. Benczik.
Páginas: 92.
Valor: R$ 34,00.

“DISTRAÍDO E A 1000 POR HORA: guia para familiares, educadores e portadores de transtorno de déficit de atenção/hiperatividade”
Autores: Simone da Silva Sena e Orestes Diniz Neto.
Páginas: 104.
Valor: R$ 36,00.

 "A PRÁTICA DOS QUATRO PILARES DA EDUCAÇÃO NA SALA DE AULA"
Autor: Celso Antunes.
Editora: Vozes.
Páginas: 104.
Valor: R$ 11,50.

Faça um rápido cálculo mental do quanto eu preciso (em R$) para adquirir todos esses livros? Uns R$ 585,50? Mais de um salário mínimo!!!

Agora me responda uma coisa: por que a maioria dos professores não se atualiza, não compra livros em sua área, não “estuda” para melhorar sua prática pedagógica?
O preço exorbitante dos livros?
A falta de boas livrarias?
A grande oferta de livros não-pedagógicos por preços bem mais acessíveis?
O fato de, os professores que são pais, terem de se preocupar primeiro com os livros didáticos de seus filhos (livros estes que também costumam ser bem caros)?

O fato é que se, pelo menos, as Salas de Leitura de nossas escolas tivessem uma parte de seu acervo dedicada a livros como estes (e fossem constantemente atualizadas), os professores não teriam nenhuma desculpa para não ler, não estar constantemente em atualização e os dias de Centro de Estudos poderiam ser mais que “dias para recebermos repasses de informações”, novas Resoluções, corrigir provas e atualizar Diários de Classe...

Minhas utopias e eu...

Eu leio não por prazer, mas por vício! Adoro ler, mas adoro principalmente estar atualizada em minha área, ter acesso a livros que não são como novelas, com histórias (reais ou fictícias) de pessoas de diferentes países, credos, raças. Gosto de livros que são como aulas, que nos ensinam a melhorar cada dia mais nossa prática profissonal!